2.7.15



isto não está para poemas
ó meu desregrado amor
são dias facas de gume fino
e a pele escassa para tanto fio
os cães que lambem as feridas
só nos querem chegar ao osso
(se fosse cão eu também queria)
nunca os deuses voaram tão baixo
nunca as vozes foram tão gritos
quem nos manda ter canelas?
havemos todos de ser roídos
afinal é tudo poucochinho

3 comentários:

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho.Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Nuno, depois de ficar muito tempo longe voltei com um novo blog.
    Se desejar, me visite!

    momentosbrancoepreto.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Que bom que é, encontrar disto pelas esquinas do mundo que é a blogosfera, e tropeçar em palavras assim, tão agridoces. Só para lhe agradecer todos os versos aqui deixados, plantados pelas páginas brancas do Acordar um Dia, que leio e releio diariamente. Há palavras que nos fazem mesmo bem.

    ResponderEliminar

 
Add to Technorati Favorites Free counter and web stats